segunda-feira, 19 de novembro de 2007

A raposa e o galinheiro

Uma subcomissão instituída na Câmara há sete meses prepara-se para divulgar nos próximos dias um relatório tão polêmico quanto mal divulgado. Sugere que o controle das urnas eletrônicas seja transferido do Tribunal Superior Eleitoral para uma “Comissão de Automação Eleitoral do Congresso Nacional”, a ser criada por lei.

Em bom português, os deputados estão questionando a isenção da Justiça Eleitoral. E, a pretexto de resolver o suposto problema, sugerem que as regras do processo eleitoral eletrônico passem a ser definidas pelos próprios deputados e senadores, reunidos numa Comissão Eleitoral. Esquecem-se de um detalhe relevante: o congressista é parte interessada, muito interessada, interessadíssima no resultado das urnas. É como atribuir à raposa a gerência do galinheiro.

Além do galinheiro, a
“Comissão de Automação Eleitoral do Congresso Nacional" será mais um bom cabide de emprego.

Fonte: Josias

Um comentário:

Leila disse...

Pode ser, mas o povo brasileiro é burro o bastante para não atentar a esse despautério.